Esta Noite Dançamos - Capitulo 22

Com ameaça de morte tive que postar este capitulo x)  Este cap é sem dúvida especial, por isso espero que apreciem e que comentem :DD

É pequenino eu sei, mas teve que ser!

Dedico à JezzTH ;)

 

Ele começou a aproximar-se perigosamente dela. Ela não se mexeu, ficou petrificada no mesmo sítio. Ele pousou as mãos no rosto dela e acariciou-o meigamente.

-Já te disse o quanto és bonita? – perguntou ele sentindo o tremer do corpo dela quando ele lhe tocou…

- Tom, é melhor ires embora! É melhor, porque… - mas ele esmagou os lábios dela com os dele e não a deixou acabar.

Começou o fogo entre eles. Ela puxou-o contra si desesperadamente. Ele alimentou o seu desejo começando por explorar todas as curvas dela! Beijavam-se violentamente. Tom passou as suas mãos na cintura dela, subindo até ao pescoço e acabando por chegar à nuca. Aí puxou-a com mais força ainda para ele quase sufocando-a. Ela descolou a boca dela da dele e começou a beijar-lhe o pescoço até que lhe mordeu suavemente. Ainda estavam de pé, quando Tom puxou-a para o chão e deitou-se em cima dela. A cama estava a cerca de 2 metros dali, mas ele não aguentava esperar por mais 1 milímetro que fosse sem ela.

O corpo dela estava estendido no chão e a sua anca estava entra as pernas de Tom. Ele sentara-se em cima das pernas dela e com uma força inacreditável rasgou-lhe a camisola e tirou-lhe o bonito sutiã… Ele sorriu, quando reparou na cara pasmada de Ana. De seguida inclinou-se sobre o peito dela e começou a mimá-los com os seus lábios. Por momentos ela sentiu-se nas nuvens e deixou escapar um gemido abafado. Depois a boca dele foi outra vez ao encontro da dela e ambos sentiram magia a dançar no corpo e na boca deles. Rebolaram ambos no chão e desta vez ela acabou por cima dele. Começou por tirar a camisola a Tom e quando o fez ficou em estado de espanto. Reparou naquele tronco que a fez babar… Sempre pensara que debaixo daquelas roupas XXL ele escondia um corpo extremamente magro e desfigurado, mas a verdade é que não era nada assim como ela imaginara. Era entroncado e perfeitamente esculpido. Atirou-se sobre aquele peito estruturado como uma maluca… Enquanto o beijava e brincava com a língua no peito dele, lançou as mãos às calças dele desapertando-as. Deslizou-as sobre as pernas dele, acabando por ficar só de boxers. No entanto, ele agarrou nela com toda a excitação possível e beijou-a fatalmente. Tirou-lhe as calças rapidamente, tal como as cuecas dela. Ela acabou por tirar-lhe o que ainda faltava nele. Ele debruçou-se sobre ela, pousou as suas mãos nas nádegas dela e puxou-a inteiramente até que ambos os corpos colidiram furiosamente. As pernas dela abriram-se e encaixaram na cintura dele. Ele beijou-a insaciavelmente até que ela mordeu o seu lábio quando sentiu ele a entrar dentro dela. A respiração tornou-se acelerada, quente e agitada. Ele voltou a entrar dentro dela e continuou a faze-lo a um ritmo lento. Ela protestou, queria aquilo muito mais veloz do que ele podia imaginar. Ele aumentou o ritmo. O sexo era violento e ambos queriam manter aquilo assim até não poderem mais! Ela cravava-lhe as unhas nas costas dele para tentar abafar todos os gritos de prazer que queria difundir. Ambos estavam possuídos e desejavam-se ardentemente. Ela queria mais e mais e ele dava. Ela gemia e ele ainda se excitava mais com isso, gemendo também… há muito que ela tinha atingido o orgasmo! O ritmo desacelerou naqueles corpos suados e começaram-se a acariciar docemente um ao outro. Os seus olhares cruzavam-se e Tom sorriu.

- Que foi, parvo? – perguntou Ana beijando-lhe a ponta do nariz.

- Nada… - respondeu-lhe ele acariciando-lhe o rosto e beijando-a na boca.

Pegou nela ao colo suavemente e pousou-a na cama. Ele deitou-se ao lado dela. Com os corpos virados um para o outro, ele voltou a beija-la. Na verdade, não se cansava de o fazer. – Suponho que amanhã te vão doer as costas! – Induziu ele.

- Também suponho isso… Isto de fazer sexo no chão nunca dá bom resultado! – disse-lhe ela a sorrir. Ele retribui-lhe o sorriso. Depois de alguns minutos a fixarem o olhar um no outro, entrelaçaram os bonitos corpos e adormeceram…

 

Tom acordara com os raios de sol que radiavam o quarto. Quando abriu os seus olhos ainda fatigados, reparou que estava sozinho na cama. Sentou-se rapidamente para perceber se aquilo fora um sonho erótico ou se acontecera mesmo. Estava deitado na cama dela por isso não devia ter sido sonho… Respirou fundo. Apercebeu-se que se sentia anormalmente bem! Ainda sentado na cama, ouviu água a correr… Esse barulho vinha da casa de banho. Levantou-se ainda nu, vestiu os boxers e abriu a porta da casa de banho com um enorme sorriso estampado na cara.

I feel: com sono
music: EMINEM - SPACE BOUND <3
feito por danceandtokiohotel às 14:31 | link do post