Esta Noite Dançamos - Capitulo 19

Aqui fica mais um cap. Obrigada a todos pelos comentários :DD Comentarei os vossos blogs e fic's amanhã ou no Domingo, I promise ;D Espero que gostem e que comentem... Kiss *-*

 

Depois de passarem o dia inteiro a descansar e a exercitarem os músculos dos dedos no comando da televisão, as meninas decidiram começar a fazer os preparativos para o jantar.

- Maria eu vou tomar banho e tu tomas a seguir, ok? - Ana esperou pela resposta positiva da Maria - Vai preparando o teu vestuário! - continuou ela piscando-lhe o olho e a sorrir.

Ana tomou um banho rápido, mas refrescante e perfumado. Quando saiu da casa de banho olhou para cima da cama e viu uma camisola com um decote brilhante e que desse decote o tecido caia até a cintura. Reconhecia essa peça de vestuário de Maria, pois foi ela própria (Ana) que lhe oferecera no seu 18º aniversário. Depois havia umas calças de ganga escuras, umas sandálias e umas pulseiras para rematar.

- Bem, bem Maria! Mas que gata que vais ficar... O Bill não vai resistir a esse decote. - disse Ana a brincar.

- Não sejas parva! Porque é que falas sempre no Bill? - interrogou Maria aborrecida com o comentário da amiga.

- Porque tu babas-te para ele tal como ele se baba para ti...

- Deves andar mal dessa visão! - disse Maria corada - Porque é que não falas de ti e do Tom?

Ana não respondeu logo. Fez uma breve pausa enquanto escolhia a camisola que levaria para o jantar, por fim respondeu.

- Porque não há nada para falar! - disse ela desviando o olhar da camisola e direccionando-o para Maria.

- Muito pelo contrário, menina Ana... Tens muito que falar e contar! Que foi aquele beijo doido entre vocês?

- Aquilo foi a maior estupidez da minha vida! - disse Ana completamente desinteressada naquela questão da amiga.

- Foi mesmo? Pelo que vi tu estavas a gostar e ele também. Admite lá, tu gostas-te!

Ana tinha uma camisola na mão e largou-a na cama com toda a violência.

- Queres saber? sim, gostei! Gostei, mesmo! Agora ele escusa de saber, já é convencido que chegue!

- Tu gostas dele! - disse Maria aos saltinhos e com um sorriso na cara.

- Espera aí! Não confundas as coisas... Gostei do beijo dele, não dele! Sabes perfeitamente que tenho um imenso currículo de beijos e sabes perfeitamente que nunca me queixei de nenhum. Isso não quer dizer que gostasse dos rapazes, simplesmente beijavam bem. Eu nunca gostei de ninguém a sério, porque haveria logo de gostar de um idiota como o Tom?

- Porque tu não resistes à idiotice dele! - provocou Maria a sorrir

- Vá lá! O Tom nem sequer tem estilo, ou melhor, não faz nada o meu estilo. Aposto que por baixo daquelas roupas XXL esconde um corpo lingrinhas. - disse Ana a rir-se da última palavra que dissera.

A conversa ficou por ali. Mais nenhuma das duas comentou. Maria apenas sorriu com aquele ar de quem sabia que o que a Ana dissera fora apenas da boca para fora. Depois de Maria tomar banho, Ana já estava pronta. Na verdade não levava nada de muito especial. Era apenas um jantar e apesar de ser com os Tokio Hotel não se vestiu melhor do que se fosse jantar com outro rapaz qualquer! Simplesmente vestiu o que gostava e com o que se sentia confortável. Vestia umas calças justas de ganga, uma camisola de alças esburacada azul, optou também por um casaco de manga curta para embelezar ainda mais o conjunto. Depois calçou umas curtas botas castanhas, um colar em forma de coração e um saco a combinar. Apesar de ser simples, ela tinha uma coisa a seu favor, um corpo invejável, por isso tudo o que ela vestia ficava-lhe anormalmente bem.

De repente ouviram batidas suaves na porta.

- Deve ser o Filipe! - disse Maria ainda a arranjar-se - Ele mandou-me uma mensagem a dizer que passava por aqui antes de irmos... Não sei o que quer! Talvez venha perguntar se queremos boleia!

- Deixa estar! Eu vou lá abrir... - informou Ana

Ana foi a correr para a porta e abriu-a rapidamente.

- Filipe nós já va... - Ana calou-se. Não era Filipe que batera a porta. Eram os gémeos Kaulitz e sorriam para ela - Bill, Tom... Desculpem pensei que fosse o Filipe e o resto do grupo de dança...

- Eles já foram com o Georg e o Gus - informou Bill

- A sério? - questiounou Ana muito surpreendida.

- Sim - respondeu desta vez Tom - O Filipe nem queria acreditar! - disse ele a rir-se.

Ana não comentara. Reparara agora no vestuario de ambos. Bill vestia-se completamente de preto e usava as tão famosas botas dele de cordões. Já Tom, usava umas sapatilhas largas «Claro, tudo o que ele usava era largo», pensou Ana. Vestia umas calças de ganga que obviamente eram largas, uma T-shirt branca e por cima um casaco rosa claro. «Fica-lhe tão bem o rosa, meu deus!» pensou descontroladamente Ana. Com intenção de fazer sumir aquele pensamento abanou ligeiramente a cabeça e chamou pela amiga:

- Maria, despacha-te! Já estão à nossa espera...

Dali a segundos chegou Maria.

- Olá meninos! Estou pronta, vamos?

 

Foram logicamente de carro. Combinaram que ao ir para o restaurante era Bill que conduzia e ao ir embora para o hotel era Tom que dirigia o carro. Sendo assim Maria fora à frente com Bill no carro, e Ana e Tom foram atrás o mais afastados possível... Chegaram ao restaurante e avistaram os restantes de ambos os grupos.

- Olá Georg, Gustav, Filipe, João e Pedro! - disse Ana cumprimentando-os a todos com dois beijinhos. Maria fizera o mesmo. Os gémeos simplesmente comunicaram com as cordas vocais, nada de beijinhos. - Só estamos nós? Isto está vazio... - perguntou Ana confusa olhando para o o enorme parque de estacionamento.

- Claro que está vazio! - respondeu Tom irritado com a ignorância dela - Não sei se sabes, mas nós somos os Tokio Hotel e nunca na vida poderíamos jantar em paz com mais pessoas a jantar ao nosso lado...

- O que é que isso significa? - perguntou Maria pausadamente, mas quase a advinhar a resposta.

- Tivemos que alugar o restaurante por esta noite, só para nós! - disse Bill olhando para Maria.

- O quê? - retorquiu Ana escandalizada. O seu rosto tornou-se sério e paralisou.

Tom extingui o seu olhar irritado e transformou-o em preocupação ao ver Ana daquela maneira.

- Estás bem, Ana? Sentes-te mal? - perguntou ele.

- Claro que me sinto bem! Só estava aqui a pensar como a vossa vida é horrível...

Tom às vezes também pensara o mesmo, mas a vida dele era a banda, a música, por isso esses pensamentos demoravam apenas breves momentos inacabados.

Começaram a entrar no restaurante até que Georg ofereceu o seu braço a Ana.

- Ui que cavalheiro, menino Georg! Se não te conhecesse minimamente diria que te estavas a atirar a mim... - disse ela a sorrir docemente.

- Não te ponhas com ideias! - disse Tom atrás deles e ouvindo o que ela dissera - Ele tem namorada!

- Pois tenho! - Disse Georg a rir-se da irritação que possuiu Tom novamente - E gosto imenso dela... Não pretendo trai-la. Só estava a ser cavalheiro, Tom. Escusas de ficar irritadiço. A Ana é toda tua! - disse ele afastando o braço dele do da Ana, mas ela não deixou.

- Que pena, Georg! Eu e tu fazeria-mos um par e pêras! - disse ela para provocar o Tom e a sorrir maquiavelicamente. Georg percebendo o jogo dela, entrou nele com todo o gosto.

- Também acho! Confesso... eu tenho um fraquinho por ti, Ana - disse Georg com uma vontade enorme de se rir reparando na cara do Tom.

- Olhem eu não estou para isto! - disse Tom furioso - Eu vou entrar, estou com uma fome de cão... Georg és o maior cabrão de sempre, a tua namorada que saiba disto! Como é que tens um fraquinho por esta gaja? Ela é uma idiota e parva! - Tom irradiava de irritação. Estava completamente em chamas quando entrou no restaurante e deixou Ana e Georg para trás.

- Oh Meu Deus! - disse Ana às gargalhadas - Ele é sempre assim? Acredita em tudo o que lhe dizem? Ele acreditou mesmo no que disses-te, Georg!

- Pois acreditou! - disse ele também às gargalhadas - Ele estava ruidinho de ciumes, Ana e acredita que ciúmes no Tom Kaulitz é uma fenómeno extremamente raro...

- Pois, isso já não me interessa! Vamos entrar, também tenho fome... Georg só espero que não arranjes problemas com a tua namorada! E se Tom lhe conta?

- Ele não conta nada, não te preocupes e aliás isto só foi uma brincadeira nada de mais. Gosto demasiado dela para que uma brincadeira destas destrua tudo o que temos...

Ana sorriu

- Que bonito, Georg... És um doce de pessoa!

- Tu também! Entramos? - Ana respondeu-lhe positivamente e entraram os dois juntos e a rir-se. Uma coisa lhes pesava durante o trajecto até à mesa, o olhar fixo de Tom.

 

Isto é só para visualizarem as roupas das meninas:

Maria:                                                    Ana:

feito por danceandtokiohotel às 15:17 | link do post | mimar | ver todos os miminhos (16)