Esta Noite Dançamos - Capitulo 14

Este cap é dedicado a todos as minhas queridas leitoras. Obrigada por tudo :DD

 

Tinha chegado finalmente o dia da primeira actuação.

- Céus, daqui a poucas horas vamos actuar para um júri extremamente rigoroso e um enorme público! - disse Maria enquanto o seu corpo tremia de medo.

- O Tom e o Bill vão fazer parte do público! - informou Ana.

- O quê? - retorquiu Maria apavorada - Porquê?

- Porque... - Ana fez uma pausa a lembrar-se do motivo, mas como não era do seu agrado preferiu nem falar nele - Esquece, Maria!

Os olhos da Maria brilhavam inflamadamente, mas Ana não percebeu se era de alegria com aquela noticia ou de pavor...

- O Bill vem? - murmurou para si mesma Maria ainda sem acreditar. Ana não deixara de ouvir e sorriu. Não comentou para não a pôr mais nervosa do que já estava.

 

Já se ouvia o público quando todos os grupos estavam a preparem-se para a grande noite. Ana e Maria encontravam-se na parte da maquilhagem quando ouviram uma voz cínica e feminina atrás delas:

- Ainda pensam que têm alguma hipóteses? É melhor desistirem já, a humilhação será menor! Ao menos não fazem cenas em frente a tanta gente! Vocês não passam de um grupo de meia tigela, um grupo de amadores!

Ana conhecia aquela cara sem dúvida. Era a tal loira que intimidou todos os grupos no dia de apresentação. Ali, naquele momento, parecia ainda mais cabra do naquele dia. «Uma cabra ainda mais fula!» pensou Ana.

- Querida, o teu mal é subestimar-nos! - disse Ana a provocá-la e sem medo - Vamos devorar o teu grupo como faz um gato a um rato!

Estavam as duas cara a cara e cada uma com o rosto duro quase como mármore. Maria não tivera reacção. Sabia que se não fizesse qualquer coisa, as duas ainda começavam com a típica luta de miúdas. Na verdade não foi preciso fazer nada, alguém fez por ela.

- Anda Sylvia! Somos os primeiros a actuar e temos um minuto para entrar em palco. - gritou alguém do grupo dela.

O coração da Ana parou literalmente durante alguns momentos, ela nem queria acreditar no que estava a ouvir.

- Tu é que és a Sylvia? - perguntou ela a gaguejar

- Sim! Porquê?

- Nada, nada! - respondeu Ana. Sylvia já se tinha afastado quando Ana voltou a falar, mas desta vez sarcasticamente - Eu não acredito! Afinal é esta a tal Sylvia?

- Tu conhece-la? - perguntou Maria sem estar a perceber nada de nada.

- O Tom anda enrolado com esta estúpida de merda por isso é que veio assistir ao concurso...

- E como é que tu sabes isso tudo, Ana?

- Oh, o Tom fez questão de me dizer depois de eu lhe negar um momento escaldante na vida miserável dele!

- Ele tentou levar-te para a cama? - perguntou Maria a rir-se da situação.

- Tentou beijar-me! Mas ambas sabemos que com ele depois de um beijo vem sempre sexo... - fez uma pausa e pousou uma das suas mãos na cabeça - Agora anda enrolado com esta loira deslavada que é a rapariga mais cabra que conheço. Que dois que se juntaram - disse ela furiosa.

- Desculpa lá a minha opinião Ana, mas isso parece-me um ataque de ciúmes!

- Ciúmes? Eu nunca tive ciúmes de ninguém ia agora ter ciúmes daquele parvalhão? Eu só estou a dizer que ele sozinho já me irritava, imagina agora com aquela pega (que por acaso também me irrita à brava)!

Maria não comentou.

Ana lembrou-se do momento dela e do Tom na noite anterior. Lembrou-se daquele 'quase beijo', mas depressa esse pensamento sumiu da mente dela. Agora tinha que se concentrar para a actuação.

- Vamos Maria! Quero ver o grupo daquela parvalhona a dançar...

 

Fez-se silêncio e ficou tudo na sombra da escuridão. A música começou e as únicas que iluminavam eram as do palco.

Bill e Tom estavam a assistir na primeira fila de cadeiras.

- Bill, é aquela a Sylvia! - disse Tom apontando para a loira - Diz lá que ela não é uma bomba! - fez uma pausa - Agora estou a pensar como... - e calou-se.

- A pensar como o quê? - perguntou Bill curioso.

- A pensar como sou idiota! Já fiz sexo com todo o tipo de miúdas, ou quase todas, mas com uma bailarina nunca fiz e isso faz-me pensar como sou um grande burro. Afinal elas devem ser as melhores na cama...

- E porquê? - perguntou Bill confuso com a teoria do irmão.

- Porque são as que têm mais flexibilidade. Imagina o que se pode fazer com elas! . respondeu Tom em tom perverso e a trincar o seu lábio inferior.

Bill deu-lhe uma cotovelada:

- Tu realmente, Tom Kaulitz! És o gajo mais taradão que conheço. Por favor guarda esses pensamentos perversos só para ti, eu não quero saber, nem imaginar!

 

Faltava apenas alguns minutos para o grupo dos portugueses subirem ao palco. Eram o último grupo a actuar.

- Não terão hipótese, Bill - comentou Tom momentos antes de o grupo actuar - Até agora o grupo da Sylvia foi o melhor... E dançar melhor do que aquilo é quase impossível...

 

Parabéns ao nosso Gustav :DD

feito por danceandtokiohotel às 09:39 | link do post | mimar | ver todos os miminhos (8)