Esta Noite Dançamos - Capitulo 39

Eu sei que o cap. é enorme, mas pensem que é o último.

A seguir vem outra fanic que eu considero muito melhor que esta e com capitulos muito mais pequenos para não cansar ninguém. Depois faço a apresentação, por agora fica o último capitulo de "Esta noite dançamos".

 

Obrigado a todas <3

Estavam os quatro na sala, a olhar uns para os outros percebendo que não iam sair dali felizes. Tom e Bill já adivinhavam o que ia sair da boca delas e sentaram-se tentando disfarçar o nervosismo.

- Bem, como sabem eu e a Maria não podemos ficar aqui, na Alemanha eternamente…  Temos os estudos, que vão começar dentro de dias e… - Ana calou-se observando os rostos vazios deles. Tal como eles, ela não queria partir, ou melhor, uma parte dela não queria partir. – Vocês têm que compreender! – pediu ela aproximando-se de Tom e abraçando-o. – Desculpa! – murmurou ao ouvido dele.

Tom desviou-a e levantou-se.

- Vocês não podem ir… Quando finalmente nós começamos a namorar, tu decides partir? Não podes fazer isso…

- Eu não decidi nada, são as circunstâncias, Tom! Estás a ver-me feliz com esta situação? Estás? – fez uma pausa – Eu não estou nada feliz…

Tom consentiu e abraçou-a. Nessa altura Bill e Maria também estavam agarrados…

 

Decidiram jantar todos juntos. Queriam aproveitar todo o tempo que restava juntos. Tom e Bill passaram o jantar todos aos segredinhos e quando Ana decidiu interrompe-los vendo-os alegres e a sorrirem.

- Isso é tudo entusiasmo por se verem livres de nós? – provocou ela, beijando Tom.

- Achas mesmo querida? – retorquiu Tom retribuindo-lhe o beijo – Quando é que vocês vão mesmo embora?

Ana franziu o olho.

- Realmente estão mesmo ansiosos por irmos embora – disse transparecendo um olhar magoado. – Vamos depois de amanhã! – informou virando as costas, até que foi agarrada pelo braço.

- Anda cá, Ana! Tu achas mesmo que eu sinto isso? – perguntou-lhe com o seu corpo colado ao dela e acariciando-lhe o bonito rosto dela. – Eu amo-te e acredita que ires-te embora é o meu pior pesadelo… Mas há um problema… - disse ele, fazendo sinal a Maria para ir ter com eles.

- Que se passa? – perguntou Maria.

- Bem, nós… - disse Bill fitando Tom e dirigindo-se novamente a Maria. – Quer dizer a banda tem concerto nesse dia, o que significa que… - fez uma pausa, sabendo que aquilo ia dar confusão – O que significa que o nosso último dia será amanhã… Desculpem, mas não dá mesmo!

- Vocês estão a dizer isso como fosse a coisa mais normal do Mundo. – perguntou Ana confusa com aquela calma toda… Mas que raio é que eles tinham?

- Eu acho que ainda estou anestesiado com a noticia. Eu não acredito, juro que não… - Tom O

olhou-a e chamou-a à parte – Amanhã é a despedida. A nossa despedida… Queres alguma coisa em especial? – perguntou.

- Quero. Quero que estejas comigo e que te mostres interessado em mim! – disse ela friamente.

- Assim será… - disse ele beijando-a.

 

“Como é possível?” Ele estava reagindo tão normalmente à partida que chegava a não ser norma, pensou Ana. Não ia pensar mais nisso, pelo menos ali, deitada na cama e morrendo de cansaço. Adormeceu e sonhou com ele. Eram felizes juntos…

 

Ambas ficaram furiosas, quando descobriram que os gémeos Kaulitz tinham ido passear a manhã toda sem elas. Afinal era o último dia…

- Que raio é que se passa com eles? Até parece que não sabem que vamos amanhã embora… - comentou Maria. Nessa altura ambas receberam uma mensagem. Ana do Tom e Maria do Bill que dizia: “Vem ter comigo ao estúdio. Estou à tua espera. Beijos”

- Estranho! – comentou Ana confusa – vamos lá?

Ambas dirigiram-se ao estúdio como eles pediram. Quando entraram estava tudo escuro, até que uma luz ofuscou e direccionou-se para o centro. Lá viram Tom, no piano e Bill ao lado com um microfone.

- Isto é para vocês! Para as raparigas mais especiais das nossas vidas…

Tom começou a tocar o piano e ambas reconheceram a música para surpresa de Ana. Ela nunca fora fã deles, mas desde que se apaixonou por Tom, decidiu que estava na altura de conhecer melhor o trabalho dele…

 

Zoom into me, zoom into me, I know you're scared

When you can't breath, I will be there

Zoom into me

 

- Foi lindo… - disse Maria correndo para os braços de Bill.

Ana não comentou, aproximou-se de Tom e sentou-se ao lado dele no piano.

- Apetece-te tocar? – perguntou ele, vendo-a a olhar seriamente para o teclado.

- Não! – disse sorrindo-lhe - Apetece-me dizer que foi maravilhoso, Tom…

- Também achei que ias gostar…

- Pois, mas agora apetece-me trincar-te e fazer uma despedida mais íntima! – disse-lhe ela ao ouvido e mordendo-lhe a orelha.

- Andas mesmo maluca… - observou a rir-se – e se tu soubesses o quanto eu gosto disso. O quando eu gosto que sejas maluca e selvagem na cama… - desta vez ele fê-la arrepiar passando a sua mão no pescoço dela. – Vamos para o meu quarto…

 

Levou-a ao colo até ao seu quarto, roupa voou pelo ar e divertiram-se o quanto quiseram na cama…

- Vou ter tantas saudades tuas… - disse Tom, marcando mais uma vez o rosto dela na sua mente. Queria recordar-se dela todos os dias…

- Oh eu também, mesmo muitas… Amo-te Tom!

-Não é justo… Eu não merecia que fosses embora! – disse ele enrolando-se novamente no quente corpo dela. – Amo-te!

 

Acordaram sem querer acordar. Era o dia da partida delas. Eles também já tinham partido, mas para o concerto…

Sentiam-se desoladas e sem energia. Puseram as malas no táxi e dirigiram-se para o aeroporto. O voo atrasou-se uma hora, e foi mais uma hora sem dizer nada uma à outra. Provavelmente nunca mais os veriam. Provavelmente nunca mais veriam as paixões da vida delas… Finalmente no avião, sentaram-se e deram as mãos.

- Valeu a pena! Foi sem dúvida as melhores semanas da minha vida… - comentou Maria.

- Sem dúvida que sim! Vou ter saudades… - concordou Ana forçando um sorriso.

A viagem demorou cerca de 3 horas. Chegaram ao aeroporto em Portugal e quando iam a sair, Ana sentiu um toque nas costas.

- Desculpe pode-me dizer onde é o check-in? – perguntou alguém atrás de si. Ana voltou-se rapidamente.

- Claro… Esta a ver ali a… - calou-se. Pensou que estava a sonhar, fechou os olhos, abanou a cabeça e voltou a abrir novamente os olhos. Não era imaginação dela. Ele estava ali. Olhou para Maria e viu-a abraçada ao irmão dele.

- Eu não acredito! Tom? – gritou histericamente e abraçando-o a ele fortemente que quase o abafou. – Vocês… Como é que vocês…? O concerto?

- Não havia nenhum concerto, foi apenas uma desculpa… - disse Tom radiante. – Por isso é que parecia-mos despreocupados. Nós não íamos deixar que vocês se livrassem de nós assim tão facilmente…

- Oh meu deus… Nem sei que dizer! Isto é tão bom… - Ana beijou-o e abraçou-o mais uma vez. Queria ter a certeza que ele estava mesmo ali. – Vão ficar aqui muito tempo? – perguntou ainda abraçada a ele.

- Até tu te cansares de mim… - informou ele. Ana afastou-se e fitou-o.

- E se eu nunca me fartar de ti?

- Então nunca me irei embora… - o coração palpitou forte. Estava feliz por tê-la ali. Queria ficar com ela e para sempre.

- Tom, e a banda?

- Quanto a isso, não te preocupes! Trabalharemos na mesma mas não tão intensamente como antes. Claro que vamos ter que nos ausentar algumas vezes, mas prometo que serão poucas… Quero ter tempo para ti e para a nossa vida…

- Eu ainda não acredito que tu estás aqui… - ela estava eufórica. Completamente eufórica. Ele estava a dizer-lhe aquilo e ela simplesmente sorria. Ele queria uma vida com ela, queria-a a ela… Ela também queria tudo aquilo. – Sabes uma coisa? – perguntou ela encostando o seu nariz ao dele – Amo-te.

- Lamento informar, mas eu amo-te mais. – observou ele beijando-a e prometendo-lhe uma vida feliz ao lado dele.

 

 

--FIM--

feito por danceandtokiohotel às 17:03 | link do post