Esta Noite Dançamos - Capitulo 9

Ana foi abrir rapidamente a porta antes que o barulho acordasse a amiga.

- Vocês os dois? - perguntou ela surpreendida.

Eles olharam para ela e repararam como ela estava despenteada e ainda a bocejar.

- Bem parece que acordamos alguém! - começou o Bill - Pedimos desculpa, mas alguém deixou lá este casaco e como vocês foram as únicas que estiveram lá no estúdio só pode ser vosso.

- Oh é o casaco da Maria - disse ela enquanto Bill lhe mostrava o casaco - Bem suponho que ela não te vai poder agradecer porque ainda está a dormir, mas eu digo-lhe que entregas-te o casaco e agradeço por ela!

Tom ainda não tinha falado. Estava aparvalhado a olhar para a Ana. «Mas que corpinho!» pensou ele. Ela vestia um top de alças branco que ficava pouco menos abaixo do umbigo e na parte de baixo usava só umas quecas, que também eram brancas, e que lhe ficavam a matar.

Passou na mente dele mil e um pensamentos e desejos. Olhava-a de uma maneira completamente indiscreta, não conseguia controlar. Ele devorava-a com os olhos literalmente. Naquele momento queria-a, naquele momento sentia necessidade de a ter, de a sentir, de a tocar, de a beijar... «Ela é linda», concluiu ele.

- Tom Kaulitz tira esses olhos de cima de mim! Estás a incomodar-me, acredita - queixou-se ela.

Ele sabia o que ela pretendia. Ele sabia que ela queria que ele se descontrolasse, que ele dissesse em voz alta tudo o que pensou pois assim tinha mais um motivo para o irritar. Ela irritava-o profundamente tal como ele a irritava. «Não lhe vou dar esse prazer!», pensou ele «Mas vou ter que arranjar uma boa desculpa para desculpar este momento»

- Estou surpreendido! - disse ele depois de poucos momentos. Iria gozar com ela e ela iria ficar irritadíssima. Era isso que ele queria, enlouquece-la! «A vingança é um prato que se serve frio», pensou ele. Ele não tinha esquecido aquela humilhação depois de passar uma boa noite na discoteca. Iria divertir-se a ver a cara dela!

- Com o quê? - perguntou ela e quase a adivinhar a resposta. «Ele nunca resiste a uma rapariga muito menos nestes trajes, vai sair uma coisa boa com certeza, talvez me vá dizer que me deseja, isso seria fantástico porque logo a seguir levaria uma tampa e ser novamente humilhado por mim!» pensou ela com um sorriso na cara, coisa que não ia demorar muito!

- Bem - começou ele olhando-a nos olhos - Tu és incrivelmente baixa!

- O quê? - Ela nem queria acreditar naquilo. O sorriso dela extinguiu-se repentinamente e agora estava abananada com a resposta dele.

- Sim,... pelo menos à minha beira és bastante baixa e nunca tinha reparado nisso. Quanto medes? 1,60? - disse ele seriamente, mas na verdade tinha uma vontade enorme de se rir. Ela estava completamente passada.

- 1,65! - disse ela chateada - Tu é que és anormalmente alto. Tu e o Bill!

- Anormalmente alto? - retorquiu ele - Nós estamos dentro dos parâmetros aceitáveis! - ele estava a pica-la mentalmente e ia faze-lo até à última.

- Pois também eu sou aceitável! Agora se não querem mais nada podem-se ir embora por favor!

- Sim, é melhor! - disse o Bill - Isto está a ficar muito estranho e também não queremos acordar a Maria! Vamos Tom?

Tom simplesmente abanou a cabeça dizendo que sim.

Estavam já no meio do corredor quando ela os chamou a gritar:

-Esperem, esperem! - e começou a correr na direcção deles com aquele traje a que ela chamava 'pijama' - Amanhã precisam do estúdio?

- Não! é todo vosso... - respondeu gentilmente Bill. Tom limitava-se a tirar-lhe as medidas novamente mas desta vez discretamente.

- Então obrigada! Adeus... - disse ela enquanto ia em direcção ao quarto.

feito por danceandtokiohotel às 17:35 | link do post | mimar